Pesquisar

domingo, 27 de novembro de 2016

Conheça o Motor Traxxas TRX 3.3 com Partida Elétrica


Terminologia aplicada ao Motor

ABC - Sigla formada pelas palavras Alumínio(A), Brass (B, latão em inglês) e Cromo(C). Refere-se aos tipos de materiais usados na fabricação do motor, sendo o "Pistão" em Alumínio que deslisa dentro de uma "Camisa" de Latão(Brass) e é revestida com "Cromo". Então, o TRX 3.3 é um motor ABC.

Afogado - Condição em que o motor fica com excesso de combustível na câmara de combustão e a vela não consegue queimar esse combustível.




Agulha de Alta Rotação - Válvula com a forma de agulha que regula a mistura de ar e combustível feita pelo carburador em regimes de alta rotação, definindo a aceleração final ou o mais alto giro do motor.

Agulha de Baixa Rotação - Válvula com a forma de agulha que regula a mistura de ar e combustível feita pelo carburador em regimes de baixa rotação, definindo a potencia de arrancada do modelo. 

Aletas de Refrigeração - As aletas são moldadas no cabeçote e no cilindro (a parte superior do bloco do motor) para permitir a rápida dissipação do calor que é resfriado pelo ar que passa entre elas. É importante manter as aletas sempre limpas e livres de poeira para um bom arrefecimento.

Amaciamento - Fazer funcionar um motor novo de acordo com certos procedimentos com o objetivo de permitir que ele opere com o máximo de rendimento quando em regime normal de uso. Os procedimentos de amaciamento diferem para cada tipo de motor. Siga rigorosamente as instruções da Traxxas para amaciar corretamente seu TRX 3.3.

Biela - Peça que transfere o movimento do pistão para o virabrequim. O TRX 3.3 usa uma biela desenhada especificamente para permitir um desempenho de competição: trata-se de uma biela conhecida como "faca afiada" (ou "knife-edged", em inglês), com borda aerodinâmica e afilada para que a peça "deslize" livremente através da mistura pressurizada de ar/combustível.



Bloco do Motor - O "corpo" do motor que contém todos os componentes mecânicos necessários para seu funcionamento.

Cabeçote - Peça de alumínio fixada no topo do cilindro e responsável pela dissipação da maior parte do calor gerado pelo motor. A câmara de combustão está logo abaixo da espoleta no cabeçote.

Câmara de Combustão - O espaço cúbico usinado dentro do cilindro e onde a vela faz a detonação do combustível. As dimensões da câmara de combustão são projetadas para permitir a queima mais eficiente possível da mistura ar/combustível. O espaço cúbico é que determina a cilindrada do motor, que neste caso temos 3.3cm3(ou .20 polegadas cúbicas), assim como uma moto pode ter 125cm3 ou um carro pode ter 1.800cm3(mais conhecido como 1.8)

Camisa - Peça cilíndrica que acomoda o pistão e que contém aberturas para a entrada da mistura ar/combustível na câmara de combustão e para a saída dos gases queimados pela combustão. A camisa do TRX 3.3 é de Latão (Brass, em inglês) e revestida internamente com Cromo. O TRX 3.3 é um motor ABC.


Carburador - Dispositivo onde se faz a mistura do ar e do combustível e que pulveriza essa mistura para dentro do motor de modo que ele possa funcionar. Há dois tipos de carburadores para motores de modelismo, o de válvula deslizante (ou "Gaveta") e o de válvula cilíndrica giratória (ou "barril"). O TRX 3.3 usa carburador de válvula deslizante(Gaveta), mais eficiente do que o de válvula cilíndrica giratória.


Cilindrada - É o volume cúbico da câmara de combustão, ou seja, neste caso 3.3cm3. O espaço cúbico é que determina a Cilindrada do motor, sendo que temos 3.3cm(centímetros cúbicos) ou .20 pol3 (polegadas cúbicas), assim como uma moto pode ter 125.0cm3 (125cc) ou um carro pode ter 1800.0cm3(1.800cc mais conhecido como 1.8).

Combustível (10%, 16% ou 20%) - O TRX 3.3 funciona com combustível específico para motores GLOW de modelismo, o Nitrometano. A Traxxas recomenda o uso do combustível de sua marca, o Top Fuel, vendido nas melhores lojas de Modelismo espalhadas pelo mundo todo. As porcentagens 10%, 16% e 20% mostradas no rótulo indicam a proporção de nitrometano adicionado ao combustível. Veja a matéria sobre COMBUSTÍVEIS NITRO clicando aqui! 




Cotovelo ou Curva - Tubo de alumínio curvo que conecta a saída de escape dos gases da combustão no motor à pipa de ressonância. O comprimento e o diâmetro do cotovelo devem ser cuidadosamente escolhidos para permitir o máximo de desempenho do motor. Veja a matéria sobre PIPAS clicando aqui!.

Defletor - Tubo de silicone que desvia o fluxo de gases do silenciador. Instalado no bico de escape da Pipa e preso com uma abraçadeira de nylon.

Dinamômetro - Equipamento para a medição precisa da potência e do torque do motor em todos os regimes de rotação.

Empobrecer a Mistura ou Afinar - Ajustar a agulha de alta rotação e/ou a de Baixa Rotação fechando-as para diminuir a quantidade de combustível que entra no motor. 

Enriquecer a Mistura ou Engordar- Ajustar a agulha de alta rotação e/ou a de Baixa Rotação abrindo-as  para aumentar a quantidade de combustível que entra no motor. 


EZ-Start - Em Inglês o "E" se pronuncia "i" e o "Z" se pronuncia "zi", sendo assim, "i zi start" é uma referência a palavra "EASY" que se pronuncia "izi" e significa "Fácil", então o "izi start" ou "Easy Start" quer dizer "Partida Fácil", o que tem tudo a ver com o sistema de partida automático que equipa os modelos da Traxxas. O sistema é composto por uma unidade de controle (fica nas mãos do seu mecânico) e um motor de arranque elétrico com caixa de redução acoplada ao motor. A unidade de controle fornece energia para o motor de arranque e para a vela ao mesmo tempo, girando o motor e aquecendo a vela. As duas luzes piloto, de cor VERDE devem se acender indicando o correto funcionamento ao se apertar o botão vermelho de START.





Filtro de Ar - o filtro de ar é composto de um envólucro plástico e um elemento de espuma adicionado de óleo de filtro para reter as impurezas do ar, utilizando assim o ar mais limpo. Ele fica sobre o carburador e evita que a sujeira passe para a câmara de combustão, evitando que o motor seja danificado seriamente. A entrada de poeira é a causa número um do desgaste prematuro do motor, de modo que ele nunca deve funcionar sem o filtro de ar.

Folga - Geralmente refere-se ao ajuste entre duas peças que se encaixam ou trabalham juntas. No caso do pistão e da camisa de um motor ABC, não há folga no topo de modo que o pistão é apertado pela camisa para assegurar a compressão. Se houver folga, a compressão vaza. Neste caso deve-se trocar o conjunto de camisa, pistão e biela.

Marcha Lenta - É o regime de rotação do motor quando o gatilho do radiocontrole está em posição neutra ou freado. A marcha Lenta é regulada por meio do "Parafuso de Marcha Lenta"  localizado na base do carburador, que limita o fechamento da gaveta ou do cilindro(depende do tipo de carburador).

Mistura de Combustível - A mistura de ar e combustível feita no carburador pelo ajuste das agulhas de carburação.

Mistura Pobre(muito Fina) - Condição de funcionamento em que o motor recebe baixa proporção de combustível em relação ao ar na mistura feita no carburador. Geralmente a mistura pobre pode ser notada pela diminuição da fumaça azulada na saída do escape, com aumento da velocidade do motor e consequentemente superaquecimento seguido de queda no regime de rotação. Esta condição é extremamente danosa ao motor e deve ser corrigida imediatamente para não danifica-lo.

Mistura Rica(muito Gorda) - Condição de funcionamento em que o motor recebe alta proporção de combustível em relação ao ar na mistura feita no carburador. É melhor funcionar o motor com mistura levemente rica para assegurar sua longevidade. A mistura demasiadamente rica pode "afogar" o motor, com perda de rendimento e exagerado consumo de combustível (muita fumaça na saída do escape e muito combustível sem queimar jogado fora).

Nitro - Contração da palavra Nitrometano. Componente do combustível que aumenta até um certo limite a velocidade de queima do combustível, aumentando assim a potencia do motor. A proporção de nitrometano é geralmente medida na porcentagem do volume total de combustível. Os motores Traxxas têm rendimento otimizado com misturas entre 10% e 20% de nitrometano. Veja a matéria sobre COMBUSTÍVEIS NITRO clicando aqui!

O-Ring - Anel de Borracha usado como vedação.

Parafuso da Marcha Lenta - Parafuso localizado na base do carburador que limita o fechamento do carburador(gaveta ou cilindro), fazendo com que o motor gire em regime de baixa rotação quando o radiocontrole está em posição "Neutra" ou "Freado". Esse parafuso é comumente confundido com a "agulha de baixa" ou recebe a denominação de "agulha de marcha lenta", porém, ele não é uma agulha, é um limitador ou batente.

PipaO silenciador ou PIPA é um equipamento constituído por um conjunto de tubos e câmaras, que tem por objetivo amenizar o máximo possível do som do motor em funcionamento. Tem formato cilíndrico e começa pelo tubo de entrada ou "Curva", em seguida há a câmara ressonadora, depois o tubo abafador e a saída. Veja a matéria sobre PIPAS clicando aqui!

Pistão - Peça interna do motor, conectada à biela, que faz movimento de vai-vêm dentro da camisa e que comprime a mistura combustível na câmara de combustão e, após a queima é empurrado para baixo pela expansão dos gases da combustão. O ajuste preciso entre o pistão e a camisa assegura a compressão necessária para a combustão.

Porta(ou Janela) - Aberturas na camisa que permitem a passagem da mistura ar/combustível para dentro da câmara de combustão e, após a queima, a expulsão dos gases. A forma e a localização das portas são essenciais para a definição da potência que pode ser fornecida pelo motor.

Virabrequim - O eixo que transforma o movimento de vai-vêm da biela com o pistão, em movimento de rotação. Também é responsável em levar a mistura do combustível do carburador para a câmara de combustão.


Vela de Ignição(Glow Plug) - A vela é encaixada na espoleta, que fica acima da câmara de combustão e abaixo do cabeçote. Ela é dotada de um filamento de liga de platina que se aquece ao receber uma corrente elétrica. Para dar a partida no motor, a vela deve ser ligada para que seu filamento aqueça e detone o início da combustão. Veja a matéria sobre VELAS - GLOW PLUG clicando aqui!


Venturi - Peça que regula o diâmetro do canal de entrada de ar do carburador. Por ele, o ar é sugado até chegar ao motor, quando sua abertura é fixa chamamos de venturi fixo, quando ela pode variar chamamos de venturi variável, esse último modelo permite que a quantidade de ar que entra no motor mude de acordo com sua necessidade de alimentação. O Venturi é encaixado na boca de ar do carburador.



Por: Marco Daher









terça-feira, 22 de novembro de 2016

Gastar com sabedoria! Ferramentas que valem o que custam.

Invista no que vale a pena.


A indústria de modelismo RC está cheia de produtos inovadores que são destinados para tarefas orientadas a manutenção e montagem de modelos. Ao longo dos anos, muitas ferramentas e acessórios foram desenvolvidos com o uso RC em mente, e outros ainda não-RC específicos, mas que se prestam muito bem ao uso no RC. Algumas dessas ferramentas de RC ainda são muito caras, especialmente por serem importadas. Enquanto alguns podem esbanjar em gastar US$ 20.00 em uma única chave sextavada, ou US$ 150.00 em um ferro de solda, muitos desses produtos valem realmente o quanto custam se considerarmos o longo prazo, visto a qualidade e durabilidade desses produtos. O que se segue é uma lista de algumas das melhores ferramentas e acessórios, que são dolorosos no bolso, mas que valem a pena o gasto.

Chaves de Alta Qualidade


Um excelente investimento, sem dúvida é nas chaves de uso constante. Você, automodelista, sabe muito bem que um conjunto de chaves de fenda, philips e sextavadas, são bastante utilizadas e se não forem resistentes o bastante e funcionais, só vão causar transtornos e mostrar que jogou seu rico dinheirinho no lixo. Portanto, não seja murrinha ao comprar esse tipo de ferramenta e invista em chaves que fazem o que prometem e que sejam resistentes. Conjunto com preço aproximado de R$ 450,00.

Micro-Retífica


Há literalmente centenas de usos para a microretífica em relação ao RC, e cada um deles é mais valioso do que o outro. Com velocidades ajustáveis ​​e uma infinidade de pontas como lixas, brocas, lâminas, polidores, pedras e outras coisas mais disponíveis, você pode soltar a imaginação e usar em tudo no RC, inclusive corte e acabamento em bolhas. Sim, é caro, mas o que ela pode fazer por você compensa o sacrifício, e como é uma ferramenta de grande durabilidade e funcionalidade, deve estar na lista da sua maleta, afinal o valor se paga ao longo do tempo. Valor médio de R$ 725,00.

Estação de Solda


Enquanto um ferro de solda barato é suficiente para pequenos reparos e facilmente você leva para qualquer lugar, investir em uma estação de solda é um investimento sábio. Elas têm saída variável, aplicam o calor uniformemente e oferecem muitas peças sobresselentes e dicas. A soldagem é feita com maior eficiência e na medida certa. Valor médio de R$ 150,00.

Furador de Bolha



Usar um Furador de Bolha, em vez de uma broca ou até mesmo a tesoura, é um método muito melhor para se obter um resultado limpo e você usará com frequência, afinal, a bolha pode ser trocada em um período de tempo curto. Adquirir um Furador de Bolha de marca, mesmo que seja mais caro, vai ajudar a fazer da fresagem uma tarefa mais fácil, resultando em cortes mais limpos além de permitir que você alargue os furos com precisão e sem problemas, sempre na medida certa. Custo médio R$ 65,00.

Tesouras para Lexan


Investir em um bom conjunto de tesouras curvas para Lexan  fará com que as bolhas sejam cortadas muito mais facilmente e com precisão, visto que as tesouras de bico reto e que não foram desenvolvidas para este fim acabam por picotar a bolha fazendo do seu trabalho uma coisa horrível de se ver, além de não serem ideais para fazer cortes circulares, como o contorno das rodas. Já a tesoura com o bico curvo própria para Lexan, corta o policarbonato muito mais facilmente e com um trabalho limpo. Essa tesoura permite cortes retos e curvos fáceis, pois o segredo não está simplesmente no bico, mas na posição mais afastada da junção das partes, ou seja, curta na ponta e longa nos dedos, isso facilita o corte aumentando a força no bico, visto que a parte longa funciona como uma alavanca. Essa ferramenta é essencial na maleta, deve-se ter sempre a mão. Custa em média R$ 25,00.

Saca-Volante


A compra de um Saca-Volante anodizado é uma obrigação para qualquer Modelista Nitro. É integrante essencial para desmontar uma embreagem para ter acesso ao virabrequim, e é uma alternativa muito melhor do que bater no eixo do virabrequim para tentar libertá-lo. Valor médio R$ 45,00.

Paquímetro Digital


Para uma perfeita medição e deixar seu modelo muito bem alinhado e com todos os tirantes na mesma medida, é importantíssimo que você tenha no rol de suas ferramentas um Paquímetro Digital. Além da precisão na medição ele proporciona uma leitura rápida e fácil. Até mesmo para truar os seus pneus na medida certa essa ferramenta vai fornecer o resultado esperado. Paquímetro com 150mm custa em média R$ 55,00.

Termômetro Digital


Embora existam alguns mais baratos no mercado, adquirir um Termômetro Digital de qualidade vai ajudar a manter seu modelo sempre em bom funcionamento, afinal realizar a leitura da temperatura de operação do seu motor é imprescindível para a longevidade e eficiência dos motores. Uma variação de dez graus pode fazer uma grande diferença, em razão disso a precisão é importante na afinação do motor. Também nos modelos elétricos é necessário se fazer a medição da temperatura das baterias e o correto monitoramento das temperaturas do motor também. Portanto, não é inteligente economizar nesse importante item. Custo médio de R$ 85,00.

Mesa de Setup

Caso seja um piloto de corridas ou entusiasta pelo Automodelismo, você precisará adquirir uma Mesa de SetUp para deixar seu modelo com todo alinhamento em dia. Isso faz com que o modelo ande melhor na pista e segure muito bem nas curvas. Para um perfeito alinhamento de direção, caster, altura, regulagem de Toe, cambagem, limites de disterção e muito mais, você só tem um jeito de fazer: na Mesa de SetUp. Não é nada barato, mas vale o que custa. Em média R$ 400,00.

_________________________________________________________________________________________

Para ser honesto, nem todos os produtos no mercado realmente valem o dinheiro que custam ou mesmo possuem uma necessidade extrema de se ter, principalmente para iniciantes. Embora possa parecer extravagante, no entanto, aplicar o seu dinheiro no lugar certo é realmente um bom investimento a longo prazo. Não ter pena na hora de comprar as ferramentas certas pode fazer com que você economize no futuro, afinal  você adquiriu ferramentas que vão facilitar seu trabalho e serão, sem dúvida, mais eficientes e eficazes.

Por: Marco Daher









Por: Marco Daher

sábado, 19 de novembro de 2016

Tudo o Que Você Precisa Saber Sobre Combustíveis Nitro

Em nosso Hobby temos duas principais categorias, dentre outras: 
1 - A categoria de modelos a combustão.
2 - A categoria de modelos elétricos. 

Na categoria de modelos a combustão, podemos subdividir na mais popular que é a de modelos GLOW, cujo combustível é o "NITROMETANO" e a menor e em crescente expansão a "GAS POWER", ou seja, modelos movidos a gasolina, essa encontrada nos postos de abastecimento de veículos.
A principal diferença entre elas é a potência e o consumo. Em uma, a potência é bem maior mas com alto consumo e custo, já na outra, apesar da menor potência, o seu consumo e custo são bem mais baixos.

Vamos falar da mais popular que utiliza como combustível o NITROMETANO.

Mas, que combustível é esse? Quais os seus componentes?

A maioria dos iniciantes no automodelismo e até mesmo alguns veteranos, não sabem o que compõem o combustível que utilizam, ou o mais importante, não sabem como os ingredientes de energia tem de efeito, desempenho e vida útil do motor.
Para automodelos são usadas ​bases de poliglicóides solúveis em metanol ou óleo de rícino de primeira prensagem (os mais puros). São utilizados também aditivos para reduzir a corrosão e estabilizadores para conservação e durabilidade do combustível.
Diferente da "gasolina", qualquer combustível que você comprar que for específico "para modelos de RC" vai funcionar muito bem, mas se você quiser escolher o melhor combustível para o seu tipo de modelo e seu estilo de pilotagem, este artigo vai ser de grande ajuda.

Pronto para adicionar um pouco de conhecimento a sua experiência?
Então vamos dar uma olhada mais de perto no gênio dentro daquela garrafa de combustível!

Em todos os recipientes de combustível, estará descrito o mesmo conjunto básico de componentes. As proporções de cada composto varia de fabricante para fabricante e dentro de linhas de produtos da empresa, dependendo da aplicação, mas você sempre pode contar com estes três ingredientes essenciais:

• Metanol
• Nitrometano
• Lubrificantes(Naturais ou Sintéticos)

Desvendando os Componentes

1 - METANOL (CH3OH)

O Metanol é um álcool extraído da madeira. Ele pode ser preparado pela destilação seca de madeiras, que é o processo mais antigo de obtenção, e de onde, durante muito tempo, foi obtido exclusivamente. Hoje em dia é fabricado através da reação do gás de síntese (produzido a partir de origens fósseis, como o gás natural), uma mistura de H2(hidrogênio) com CO(monóxido de carbono) passando sobre um catalisador metálico a altas temperaturas e pressões. Esta reação é uma redução catalítica do monóxido de carbono, e processa-se a temperatura de 300°C, aproximadamente,  e pressões de 200 a 300 atm. Ele também pode ser produzido a partir da cana-de-açúcar.

O Álcool Metílico ou METANOL é a maior proporção na mistura do combustível. Extremamente volátil, altamente inflamável e tóxico, temos que tomar cuidado para não inalarmos seus vapores ou o ingerirmos que, se ingerido, pode causar a morte. No seu manuseio devem ser usadas luvas. 

É um composto simples, feito de átomos de carbono, oxigênio e hidrogênio. O metanol pode queimar no ar, mesmo sem os outros componentes do combustível nitro. Uma coisa importante a lembrar sobre o metanol é que ele é higroscópico, o que significa que ele absorve a umidade do ar. Esta é a principal razão e tão importante para sempre mantermos os recipientes de combustível hermeticamente fechados. Se não o fizer, a umidade do ar vai ser absorvida para o combustível, fazendo com que ele estrague.

2 - NITROMETANO (CH3NO2)

O Nitrometano é um composto simples, consistindo em carbono, hidrogênio, oxigênio e átomos de nitrogênio. É isso mesmo - o "Nitro" é de Nitrogênio, que é o composto principal (não o oxigênio, como comumente se acredita). O Nitrometano é altamente volátil, podendo se inflamar por conta própria ao menor vestígio de uma fonte de calor, mesmo sem oxigênio, e tem uma temperatura de explosão muito alta, bem mais de 2.200° C. 

Quando misturado ao Metanol, o Nitrometano atua como um catalisador, aumentando a velocidade de combustão da mistura, ou seja, uma reação mais rápida, o que obviamente irá produzir mais potência, porém, mais calor será gerado. Quanto mais Nitrometano for usado na mistura do combustível, mais rápido o combustível será queimado, permitindo que o motor alcance maior giro. 

O cuidado que se deve ter é que apesar de poder ser usado em qualquer motor, quanto mais porcentagem dele tiver, maior o risco de quebra do motor, então tome cuidado na escolha do combustível.

Você poderá encontrar uma variedade enorme de proporções de mistura de combustível, que geralmente varia de 10% a 40% de Nitro. As misturas de 16% e 20% são as escolhas mais populares e mais seguras. 

O Nitrometano e o Metanol são adquiridos por fabricantes de combustível separadamente em vez de fabricados por eles, de modo que diferentes marcas se diferenciarão apenas pelo uso do tipo de lubrificantes e a quantidade deles usada, o que dá a cor no combustível. Então, as condições em que estes materiais são armazenados e misturados afeta diretamente a qualidade dos combustíveis. 

Quanto maior o teor de nitro, como mostrado acima, maior a potência e rpm, mas a temperatura de operação sobe também e a chance de quebra aumenta consideravelmente, então, deixe para os experts usarem mais Nitro.

3 - LUBRIFICANTES

Lubrificantes são uma parte integrante das receitas de combustível Nitro. Uma vez que os nossos motores de 2 tempos não têm cárteres cheio de óleo, a lubrificação é feita adicionando-se o óleo lubrificante ao combustível para manter os componentes internos funcionando sem problemas. 
Desde os primeiros modelos movidos a combustão, em meados do século 20, o óleo da mamona tem sido usado como o lubrificante mais comum misturado ao combustível Nitro. 
É um óleo natural, resistente a queima mesmo em altas temperaturas, e essa é uma qualidade desejada em um combustível. No entanto, ele pode deixar um resíduo gomoso. 
Alguns fabricantes conseguiram desenvolver um óleo de rícino que fornece lubrificação superior e não deixam os subprodutos negativos de óleos de mamona padrão. 
Os Combustíveis Byron, por exemplo, utilizam uma mistura de óleo de rícino natural e óleos sintéticos, embora haja alguns com mistura de óleo sintético puro disponíveis.
Essa mistura de óleos sintéticos e naturais formam um conjunto de lubrificantes eficientes ajudando a proteção contra a corrosão e a perfeita lubrificação em condições adversas.
A porcentagem de lubrificante na mistura depende da finalidade do combustível e do fabricante, mas os combustíveis destinados a corridas possuem menos lubrificante, tipicamente na gama de 8 a 12%, do que os combustíveis concebidos para a longevidade do motor, que pode consistir de 12 a mais de 20% de lubrificante. A razão para isto é que com menos porcentagem de lubrificante na mistura, pode haver mais de metanol, o que contribui para um processo de combustão mais poderoso, mas com o desgaste aumentado do motor. 
Pilotos profissionais de corrida, de bom grado, sacrificam o pistão e a biela, diminuindo a vida do motor para uma melhor performance, mas se você quiser que o seu motor dure mais tempo, escolha uma mistura com uma porcentagem mais elevada de lubrificante.

O QUE FAZ UMA MISTURA SER DIFERENTE DA OUTRA?

Muitas empresas oferecem combustíveis nitro para AUTOMODELOS, e cada fábrica de combustível tem uma variedade de misturas e diferentes níveis de qualidade e de componentes em suas linhas de produtos. Enquanto que os ingredientes são bastante básicos, as diferenças residem no componente lubrificante. Embora a quantidade de lubrificante em uma mistura geralmente é indicada à direita e na frente do rótulo, cada fabricante tem sua própria receita para os componentes químicos usados para fazer o lubrificante. Enquanto a maioria ainda dependem de um pouco de óleo de rícino, especialmente para seus combustíveis PREMIUM, a parte sintética da mistura é proprietária, ou seja, exclusiva de cada fabricante, e os requisitos de lubrificantes para um combustível de corrida são diferentes do que para um combustível geral ou comum de utilização. Um combustível de corrida deve queimar de forma limpa e expulsar com eficiência os resídios da queima para que mais combustível fresco e limpo possa entrar na câmara para o próximo ciclo de combustão. O combustível que você escolher para se divertir ou correr deve ter lubrificação protetora suficiente para minimizar o desgaste do motor. Isso não significa que você não possa utilizar uma mistura de Nitro a 40%, com 9% de lubrificantes em seu quintal - você só vai estar substituindo o pistão e biela com maior frequência, tendo o cuidado de NUNCA deixar passar a temperatura de seu motor de 120°C medidos na cabeça da vela, se isso ocorrer você não precisará trocar a biela e nem o pistão mas sim o seu motor inteiro. Essa temperatura deve ser mantida com qualquer tipo de combustível. Veja a postagem de como medir a temperatura do Motor GLOW: Como Medir a Temperatura do Motor GLOW - Clique AQUI

ENTÃO, O QUE COMPRAR?

A primeira orientação para a sua seleção de combustível deve ser o que o fabricante do motor ou o que o manual do seu modelo recomenda. Normalmente, as diretrizes são para a longevidade do motor, e não para o desempenho. Em seguida, veja em seu fornecedor ou loja de Hobby qual o combustível ideal para seu modelo e em que condições você o utilizará. 

Dica:
Os combustíveis que vendem mais vão ser repostos com maior frequência na maioria das vezes, então é mais provável você conseguir comprar um combustível mais novo, o que é ideal. Marcas populares como Byron, Tornado, HPI, O'Donnell, RB, Rapicon e Traxxas são os indicados porque os modelistas usam o combustível e voltam sempre a comprar, o que é um endosso de qualidade. Em seguida, verifique com os outros pilotos em sua pista e que possuem motores semelhantes ao seu, e usem a experiência deles como um guia na escolha da mistura que funciona melhor.
Faça a escolha certa e terá seu motor funcionando perfeitamente por um bom tempo.

Por: Marco Daher.


Por: Marco Daher









Por: Marco Daher

6ª Etapa do Campeonato Paranaense

Transcrição "IPSIS VERBIS" do Blog GT2-Paraná

Alexandre Hirata, o Japonês Voador, venceu a 6ª etapa mas Roberto Oliveira saiu quase campeão! Márcio Cichella é o campeão paranaense 1/10 GP por antecipação!


No último domingo de outubro, 30/10, foi realizada na pista da CAAR em Curitiba, a 6ª etapa dos Campeonatos Paranaense de 1/8 GT e 1/10 GP. Participaram da etapa seis pilotos da GT e oito pilotos na 1/10 GP, um bom grid em ambas categorias considerando-se os grids das demais etapas.

GT

A primeira tomada de tempo foi da GT e o Marcos Silva não conseguiu largar a tempo, o Alexandre Hirata teve problemas com o seu sensor AMB e posteriormente descobriu que o problema foi de contato pois o cabo estava muito curto. Desta forma o Marcos terminou em 6º, o Hirata em 5º, Claudio Gruber em 4º, Carlos Dalcol em 3º e travaram um duelo acirrado o Helton e Roberto. Terminou com o Helton conquistando a pole.

A primeira bateria terminou com Alexandre Hirata como vencedor, fazendo a volta mais rápida desta bateria, e um duelo emocionante entre Helton e Roberto pela segunda colocação. O Helton foi o vencedor do duelo com Roberto em 3º, Claudio Gruber em 4º, Carlos Dalcol em 5º e Marcos Silva abandonou a prova quase aos três minutos. Apesar disso o carro do Marcos parecia estar bem equilibrado e que ia incomodar, mas não correspondeu e abandonou a bateria.


Na segunda bateria o Alexandre largou bem e assumiu a ponta e Marcos Silva largando em último foi galgando posições e acabou ameaçando Alexandre a prova inteira. Helton e Roberto duelaram pela terceira posição, vencido pelo Helton. Carlos Dalcol, apesar de abandonar a prova faltando dois minutos para o final, ficou com o 5º e Claudio Gruber com o 6º lugar. Esta segunda bateria foi muito emocionante pois o Marcos e Alexandre se alternavam na liderança e nos cinco últimos minutos travaram um duelo intenso até que o Alexandre bateu na entrada da reta e foi parar dentro dos boxes, o motor apagou e ele acabou chegando uma volta atras do Marcos Silva, ganhador da bateria. Marcos Silva andando forte e rápido acabou fazendo a volta mais rápida da etapa com 15,028.


Com estes resultados a classificação da etapa ficou assim:

O Campeonato 1/8 GT ficou assim:


Conclusão: após esta última etapa e só restando a realização no próximo dia 20/11, na pista da Fazenda Thalia, de uma das etapas canceladas, o virtual campeão é Roberto Oliveira, digo virtual pois ainda não está 100% garantido. Ocorrendo a realização da etapa reserva dia 20/11, mesmo que ele não participe mas pague a inscrição, só não será campeão se o Helton Luis Casa fizer a pole e ganhar a etapa. Neste caso ambos ficarão com 195 pontos mas o Helton ganharia pelos critérios de desempate (pontuação total). Participando da etapa reserva, o Roberto será campeão mesmo ficando com o segundo lugar, ultrapassando o Helton na pontuação total.

Esperamos uma grande disputa pelo título de 2016 da 1/8 GT no próximo dia 20 de novembro na Fazenda Thalia.

1/10 GP

Por problemas no sistema de cronometragem foi necessário fazer uma nova largada para a tomada de tempo da 1/10 e tivemos um duelo emocionante entre Otávio Langowski e Marcio Cichella que volta a volta trocavam de posição mas a pole acabou ficando com Otávio. Em 3º ficou Guilherme Melo, em 4º ficou Edson Lima, seguido de André Franchi, Rodrigo Veiga, Chico Lima e Renato Amaral.

Na primeira bateria tivemos uma disputa acirrada entre Márcio Cichella e Edson Lima, com vantagem para o Cichella que venceu a bateria. Otávio Langowski chegou a disputar com Edson Lima no começo da prova mas acabou em terceiro. Rodrigo Veiga chegou em quarto, Renato Amaral em quinto, Chico Lima em sexto, Guilherme Melo em sétimo e André Franchi, que abandonou aos cinco minutos de prova, terminou em oitavo.


Na segunda bateria, o André, que tinha abandonado na bateria anterior, largou na ponta e manteve durante boa parte da prova. Surpresa foi o Márcio Cichella que venceu a primeira e largou por último nesta bateria e com três voltas já estava na segunda posição e aproximando-se do André, tornando a disputa entre os dois acirrada. Quando um errava, logo o outro também errava. Na terceira abastecida o Cichella entrou primeiro e errou a entrado do box e o André errou a saída do box, batendo e soltando o link da direção, abandonando a prova e ficando na sétima posição. Otávio Langowski com uma boa estratégia de box, fazendo um abastecimento a menos, chegou em segundo. Edson Lima chegou em terceiro, Chico Lima em quarto, Guilherme Melo em quinto, Renato Amaral em sexto, André Franchi em sétimo e Rodrigo Veiga em oitavo.


Com estes resultados a classificação da etapa ficou assim:

O Campeonato 1/10 GP ficou assim:


Conclusão: mesmo faltando ainda a realização da etapa reserva no dia 20/11, o piloto Márcio Cichella já é o campeão paranaense 1/10 GP por antecipação, pois não pode ser alcançado em pontuação, mesmo não participando da etapa reserva, apenas pagando a inscrição.

Parabéns ao campeão Márcio Cichella!

Texto elaborado a partir de relato de Anderson Nicoforenco.
O piloto Carlos Roberto Dalcol

    
O diretor de prova Clarel Castilhos e ao fundo o cronometrista Anderson Nicoforenco


O mecânico Wagner Hirata e "paitrocinador" do piloto Alexandre Hirata. 

O piloto Claudio Gruber e seu mecânico Kenedi Quequi

     

     
1 - Roberto Oliveira recebe o troféu pela Terceira colocação na GT
2 - Helton Luis Casa recebe o troféu pela Segunda colocação na GT

     
Alexandre Hirata recebe o troféu de Campeão da etapa da GT
O Pódio da GT!

  

1 - Marcos Silva recebe o troféu pela Volta mais Rápida na GT
2 - Edson Lima recebe o troféu pela Terceira colocação na 1/10 GP
3 - Otávio Langowski recebe o troféu pela Segunda colocação na 1/10 GP


     
1 - Márcio Cichella recebe o troféu de Campeão da etapa da 1/10 GP
2 - O Pódio da 1/10 GP

Fotos de Luiz Francisco Andrade Lima
______________________________________________________________________________________________________

Por: Marco Daher









Por: Marco Daher