Pesquisar

terça-feira, 24 de setembro de 2013

Campeonato PARANAENSE altera REGULAMENTO

O BLOG GT2PARANÁ publicou nesta semana a alteração do seu regulamento já para a 4ª Etapa de seu Campeonato. Veja aqui como ficou:



Depois da 3ª etapa houveram muitas reclamações dos pilotos sobre a forma das corridas quando temos mais de 12 pilotos. A partir daí fizemos uma consulta aos pilotos sobre como deveria ser nosso regulamento para atender aos anseios de todos. Com uma ideia inicial proposta por nós, começaram as discussões e sugestões de alterações no regulamento.

Antes da realização da 4ª etapa reunimos os pilotos participantes para discutir e aprovar um novo regulamento, com efeito já para a própria etapa.

Assim sendo procuramos resolver alguns problemas crônicos que temos em nossas corridas e melhorar a competitividade e participação de todos. Os principais pontos abordados foram:

- suprir a falta de mecânicos nos boxes dividindo os pilotos participantes em dois grupos, tanto para corridas com até 12 pilotos como para corridas até 24 pilotos. Desta forma os pilotos de um grupo fazem box para o outro grupo e gandulam as provas.

- permitir o uso de um pneu reserva para casos de danos a um pneu.

- nos casos em que tivermos até 24 pilotos nenhum será eliminado e todos participarão de duas baterias.

As alterações efetuadas no regulamento estão descritas abaixo, em vermelho:

3.3 – Tomada de tempo:
Até 12 pilotos: A tomada de tempo terá duração de 5 minutos, com largada lançada nominalmente dos boxes pelo diretor de prova, cada piloto terá seus 5 minutos contados a partir da primeira passagem pela linha do sensor. A partir daí, estará aberta a contagem de 5 minutos para o piloto, valendo o maior número de voltas. O critério de desempate será o menor tempo para completar as voltas.
Caso não tenhamos mecânicos suficientes para todos os pilotos, a Comissão de Corridas poderá determinar que a tomada de tempo seja dividida em dois grupos de pilotos, de modo a que um grupo possa fazer o atendimento de Box para o outro.

Para mais de 12 pilotos, serão necessárias duas tomadas de tempo, com a duração de 5 minutos para cada tomada e mesmos critérios. As tomadas de tempo serão dividas pela quantidade de pilotos.

3.4 – A CATEGORIA .....

3.5 – Formato de corrida:
Até 12 pilotos e caso tenhamos mecânicos suficientes, a corrida constará de duas baterias com duração de 25 minutos cada. Ao final das duas baterias serão apurados os vencedores da etapa.
Caso não tenhamos mecânicos suficientes, a corrida constará de duas baterias para cada grupo de pilotos definido de acordo com os critérios para provas com até 24 pilotos, a seguir definida.
Até 24 pilotos a corrida constará de duas baterias para cada grupo de pilotos.
As baterias terão duração de 25 minutos.
A distribuição dos pilotos para os grupos será feita de acordo com os tempos obtidos na tomada de tempo.

Exemplo:
1º colocado na tomada – 1º lugar no grid GRUPO A
2º colocado na tomada – 1º lugar no grid GRUPO B
3º colocado na tomada – 2º lugar no grid GRUPO A
4º colocado na tomada – 2º lugar no grid GRUPO B
5º colocado na tomada – 3º lugar no grid GRUPO A
6º colocado na tomada – 3º lugar no grid GRUPO B
7º colocado na tomada – 4º lugar no grid GRUPO A
8º colocado na tomada – 4º lugar no grid GRUPO B
9º colocado na tomada – 5º lugar no grid GRUPO A
(...) E assim sucessivamente.

3.6 – Todos os pilotos disputarão duas baterias de 25 minutos cada e ao final delas é que será conhecido o campeão da etapa.

3.7 – Cada piloto é responsável pelo seu sensor, carro e equipamento. É permitido a presença de até dois mecânicos por carro embaixo do giral.

4 – PONTUAÇÃO:

PARA ATÉ 12 PILOTOS
PONTUAÇÃO POR HEATS (BATERIAS)

4.1 – Cada piloto receberá uma pontuação em cada bateria final, com valor inicial igual ao número de pilotos e decrescente dependendo do número de participantes de cada bateria.

Exemplo 12 pilotos:
1º – 12 pontos
2º – 11pontos
3º – 10 pontos
4º – 09 pontos
:
:
12º - 01 ponto

4.2 – No caso em que os pilotos sejam divididos em dois grupos, a pontuação do heat será atribuída ao final da primeira bateria dos grupos A e B. Ou seja, atribuem-se os pontos de 12 até 1 mesclando os resultados de cada piloto do grupo A com o grupo B.

4.3 – O mesmo será feito ao final da segunda bateria dos grupos A e B.

4.4 – A classificação final da etapa será a soma dos pontos obtidos nas duas baterias, de acordo com os critérios acima, determinando assim as posições finais da etapa.

4.5 - Em caso de empate na pontuação dos heats ou final, os critérios de desempate serão na ordem:
1. Maior número de voltas no heat ou na soma dos heats.
2. Menor tempo para atingir o maior número de voltas
3. Melhor colocação na Tomada de Tempo

4.6 – Tempo das Provas - 25 minutos

PARA ATÉ 24 PILOTOS

4.7 – A classificação dos heats e final, para até 24 pilotos obedecerá os mesmos critérios definidos nos itens 4.2 a 4.6 acima.
Os demais itens do regulamento da prova permanecem inalterados.
No regulamento técnico foi alterado o item que trata dos pneus ficando com a seguinte redação:

23.3 – PNEUS
Apenas pneus de borracha nacionais serão permitidos. Os pneus deverão estar respeitando o limite de largura da bolha, não será permitida a utilização de qualquer material para aumentar a largura da bolha de modo a acomodar pneus que estejam desrespeitando o limite de largura da bolha. Pneus de espuma não serão permitidos.

SÓ SERÁ PERMITIDA A UTILIZAÇÃO DE um JOGO DE PNEU DURANTE TODA A PROVA, os pneus escolhidos pelo competidor serão lacrados no início da prova e conferidos a cada hit que participarem durante a prova. O piloto deverá escolher um pneu usado para ser lacrado e usado em caso de dano ou decapagem de um pneu do carro. Antes da troca a Direção de Prova deverá avaliar o pneu danificado e o reserva para autorizar ou não a troca.
Esperamos que estas modificações no regulamento melhorem ainda mais a competitividade e o prazer de competir.
Uma cópia do regulamento será encaminhada por e-mail para todos os pilotos cadastrados na GT.

Estudem o regulamento pois os fiscais da sua correta aplicação somos nós mesmos!
(

sábado, 7 de setembro de 2013

GT2 Paraná: Finalmente a 3ª etapa do Paranaense 1/8 GT acontec...

Reprodução "IPSIS LITERIS" do Blog GT2PARANA:


Finalmente foi realizada a 3ª etapa do Campeonato 1/8 GT, após dois adiamentos a etapa aconteceu no último sábado e último dia do mês de agosto. A polêmica gerada pelos adiamentos fez com que a Comissão de Corridas decidisse não mais adiar uma etapa devido a previsão do tempo desfavorável.  A decisão só será tomada no dia da prova e dependendo da condição da pista.

Apesar dos adiamentos tivemos um grid cheio com 14 pilotos presentes e dispostos a disputar palmo a palmo os metros da pista.  Foi um recorde de inscrições do campeonato inclusive com a estréia do piloto Luis Filipe em sua primeira corrida on road e a participação importante, apesar de esporádica, do Marcio Sanita.

A etapa começou com a tomada de tempo classificatória com os pilotos divididos em 2 baterias com 7 e 8 pilotos cada.  A tomada de tempo, uma luta de cada piloto contra o relógio, acabou com Marcos Silva ficando com a pole, seguido de Gustavo Lagos, Guto Moraes e Chico Lima, todos na mesma volta do pole. Na tomada de tempo já tivemos uma baixa - Jorge Montoro nem largou com problemas no diferencial e abandonou a etapa.

Como tínhamos mais de 12 pilotos foi adotado o procedimento de corrida previsto para mais de 12 pilotos que previa 2 semi finais, uma com 7 pilotos e outra com 8 pilotos.  O resultado destas semi finais iria determinar as posições de largada dos 12 pilotos classificados e a eliminação de 2 pilotos.

Com o resultado das tomadas de tempo foram formados os dois grupos das semi finais.  Na semi A largaram Marcos Silva, Chico Lima, Marcio Sanita, Carlos Dalcol, Bráulio Junior e Nélio Smolareck e na semi B largaram Gustavo Lagos, Guto Moraes, Luckyan Quintino, Luiz Gustavo, Luis Filipe, Lucas Lima e Djalma Mendes. Nas semi finais deu para ver que a luta seria entre Marcos Silva e Gustavo Lagos que disputavam a primazia de bater os 20 segundos, mas para azar do Guga o motor do carro não aguentou e, após trocar o motor, retornou a pista andando forte mas sem tempo para fazer as 20 voltas necessárias para se classificar para a final.  A sorte não tem ajudado ao Guga que em todas as etapas do campeonato não tem conseguido boas classificações, sempre por problemas mecânicos. Assim sendo, Guga e Jorge Montoro ficaram de fora da Final, cujo grid de largada ficou assim: Marcos Silva, Marcio Sanita, Guto Moraes, Chico Lima, Carlos Dalcol, Nélio Smolareck, Luckyan Quintino, Luiz Gustavo, Lucas Lima, Bráulio Junior, Djalma Mendes e Luis Filipe.

Como o nosso problema crônico é a falta de mecânicos para box e gandulagem, a Comissão de Corridas optou por dividir a final em dois hits com 6 pilotos cada e o resultado final seria a intercalação dos resultados de ambas as finais.  Com esta fórmula tivemos mecânicos e gandulas suficientes para o bom andamento da prova.  Não seguimos o regulamento mas foi a única forma de haver uma final pois não teríamos mecânicos suficientes nem para posicionar os carros no grid, muito menos para o abastecimento.

As 16:20 horas largou a primeira bateria da final com o grid  composto por Marcio Sanita, Chico Lima, Nélio, Luckyan, Bráulio e Luis Filipe.  O que assistimos foi uma corrida espetacular do Bráulio que nas tomadas de tempo e semi final não foi bem, ficando no pelotão do fundo e na final seu carro resolveu trabalhar e o Bráulio terminou em 1º com 67 voltas, seguido do Luckyan com 64 voltas e Marcio Sanita com 58 voltas.

As 17:00 horas largou a segunda bateria da final com o grid composto por Marcos Silva, Guto Moraes, Dalcol, Luiz Gustavo, Lucas Lima e Djalma Mendes.  Nesta final assistimos ao show de pilotagem do Marcos Silva tentando bater o número de voltas feito pelo Bráulio, mas foi traído pelo carro que morreu e prejudicou sua corrida. Guto, Djalma e Dalcol brigavam pelo segundo lugar até um erro do Djalma que o tirou da briga e o carro do Dalcol teimava em rodar nas saídas de curva, desta forma Guto segui sossegado na segunda posição com Luiz Gustavo em terceiro.  Esta situação continuou até que problemas com o carro do Guto jogou a segunda posição no colo de Luiz Gustavo. A bateria terminou com Marcos Silva em 1º com 65 voltas, seguido de Luiz Gustavo com 59 voltas e Dalcol em terceiro com 58 voltas.

Com a mesclagem das duas finais o resultado da etapa ficou assim: Bráulio Junior em 1º, Marcos Silva em 2º e Luckyan em 3º.  O líder do campeonato, Luckyan, continua "comendo pelas bordas" e mesmo com o 3º lugar manteve a liderança do Campeonato.

Parabéns ao Bráulio pela vitória e pela bela pilotagem e a todos os pilotos pelo sucesso de mais esta etapa.



Veja a matéria completa e as fotos em:

sexta-feira, 6 de setembro de 2013

INTERRUPÇÃO NA PRODUÇÃO

A DF BOLHAS INFORMA QUE A PARTIR DESTA DATA A FABRICAÇÃO DE BOLHAS ESTÁ SUSPENSA POR TEMPO INDETERMINADO.
TODOS SERÃO INFORMADOS QUANDO RETOMARMOS A NOSSA PRODUÇÃO.
AGRADECEMOS A TODOS OS CLIENTES QUE FIZERAM COM QUE A DF BOLHAS CHEGASSE AO NÍVEL DE QUALIDADE QUE PRATICÁVAMOS E QUE SEMPRE ESTARÁ PRESENTE NAS PRODUÇÕES FUTURAS!